Visualismo Arte Tecnologia e Cidade promove Seminário, Laboratório e Festival com a projeção de obras audiovisuais criadas para locais específicos

Seminário, a partir de 8 de julho, no Parque Lage e no MAR, é aberto ao público.

Em setembro, 24 obras audiovisuais serão projetadas em praças e prédios no Rio de Janeiro.

 

O Visualismo Arte Tecnologia e Cidade foi criado como um meio de discutir o futuro dos espaços da coletividade hoje. Pensar as cidades e suas múltiplas formas de apropriação é um dos principais desafios do projeto, cuja primeira edição acontece no Rio de Janeiro. A iniciativa acontece em etapas, começando com o Seminário Visualismo Arte Tecnologia e Cidade, com acesso gratuito ao público, entre 8 e 10 de julho, que discute os desafios da apropriação do espaço público e as perspectivas do suporte tecnológico para manifestações artísticas. Simultaneamente ao Seminário, o Laboratório VisualismoLab proporciona aos artistas uma imersão coletiva com especialistas. Em setembro, o Festival Visualismo, última etapa do projeto, vai apresentar obras desenvolvidas pelos selecionados e convidados em importantes espaços públicos da cidade – Praça Mauá, Parque Madureira e Central do Brasil. Idealizado por Renata Sbardelini (Suindara Radar e Rede) e Letícia Monte (Espiral), com a curadoria do artista multimídia Lucas Bambozzi, o projeto tem realização do Pontofrio e apoio do Ministério da Cultura por meio da Lei de Incentivo à Cultura –  Lei Rouanet.

O conselho curatorial liderado por Bambozzi – composto por Batman Zavareze, Patrícia Moran, e Henrique Roscoe– fez um mapeamento de 180 artistas, representantes da cena de artes visuais nas várias regiões do país. Deste grupo, 30 apresentaram propostas individuais, em uma etapa cuidadosa de chamada aos artistas. Os 15 selecionados pela curadoria e os convidados Vik Muniz, Regina Silveira e VJ Spettovão produzir trabalhos criados especialmente para projeções no teto do Museu de Arte do Rio – MAR, no edifício A Noite, em outros prédios nos arredores da Praça Mauá, na Central do Brasil e no Parque Madureira. Eder Santos e a dupla Gisela Motta e Leandro Lima também terão obras projetadas durante o Festival.

Os selecionados pelo conselho curatorial Roberta Carvalho (PA), Milton Marques (DF), Yuri Firmeza (PE), Lirio Ferreira (PE), Virgínia de Medeiros (BA), Alice Miceli (RJ), André Parente (MG), Marilá Dardot (MG), Caio Fazolin (SP), Duva (SP), Fernão Ciampa– Embolex(SP), Raimo Benedetti (SP), Leandro Mendes (SC), Kátia Maciel (RJ) e Marcus Bastos (SP) vão integrar o VisualismoLab, onde terão a oportunidade de otimizar o desenvolvimento e a viabilidade de suas obras, discutindo questões conceituais e técnicas em uma imersão coletiva com a curadoria e os especialistas convidados. “As linguagens das obras criadas para o Visualismo questionam a rigidez dos formatos pré-definidos. O desafio dos artistas é ter como protagonista os suportes não usuais que estão na cidade, em sua arquitetura. São intervenções com projeções de vídeo em grande escala em espaços que carregam significados históricos e sociais e são de propriedade de todos, que motivam uma interpretação artística”, explica Bambozzi.

O Seminário Visualismo Arte Tecnologia e Cidade acontece entre 8 e 10 de julho, é aberto ao público e conta com a participação da artista plástica e arte-educadora Regina Silveira, do escritor Erik Felinto, do curador e pesquisador de cinema Gabriel Menotti, do professor de filosofia Peter PálPelbart, do filósofo Nelson Brissac Peixoto, do artista visual e pesquisador Jorge Menna Barreto, da artista e professora Giselle Beiguelmam, e dos artistas Eder Santos, Maurício Dias e Walter Riedweg, além da mediação de Paulo Herkenhoff, diretor cultural do MAR,e de Lisette Lagnado, diretora da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. O seminário tem a parceria do Museu de Arte do Rio – MAR e da Escola de Artes Visuais do Parque Lage e envolve os estudantes do Programa Práticas Artísticas Contemporâneas – Imersão de inverno 2015 do EAV – Parque Lage. As inscrições estão abertas no site www.visualismo.com.br, que apresenta ainda a programação completa do Seminário.

Em setembro, o Festival  Visualismo Arte Tecnologia e Cidade vai apresentaras 24 obras em uma mostra ao ar livre. Os trabalhos dos 15 artistas selecionados e dos cinco convidados serão exibidos na Praça Mauá, no Parque Madureira e na Central do Brasil, oferecendo acesso a todos que circulam por esses lugares democráticos do Rio de Janeiro. “As intervenções sugerem formas de ressignificação dos espaços públicos, perspectivas para a fruição da cultura visual e de conexão com a cidade”, afirma Renata Sbardelini, uma das idealizadoras da iniciativa que pretende se estender ao longo dos anos, propondo experiências positivas de retomada dos espaços coletivos tendo a arte como meio e a tecnologia como ponte.

O Pontofrio, administrado pela Via Varejo, é realizador e patrocinador da iniciativa. “Acreditamos em propostas capazes de unir a arte e a tecnologia, que possibilitem a inovação com o propósito de desenvolver, incluir e conectar as pessoas, resignificar suas relações com elas mesmas e com a cidade”, afirma Susy Yoshimura, diretora da Fundação Via Varejo, responsável pelos investimentos em projetos sociais da varejista.  “O Visualismo está  aderente ao conceito adotado pelo Pontofrio e  apresenta a inovação como acessível e uma nova atitude sobre as coisas de sempre.”

Serviço

Inscrições abertas no site www.visualismo.com.br.

8 de julho – Parque Lage (salão nobre)

9 e 10 de julho – Museu de Arte do Rio – MAR (auditório da Escola do Olhar)

 

Programação do seminário

8 de julho

Parque Lage (salão nobre)

SEMINÁRIO ARTE, TECNOLOGIA, CIDADE

17h – Apresentação do projeto Visualismo Arte Tecnologia e Cidade: Leticia Monte, Renata Sbardelini e o curador Lucas Bambozzi em conversação com LisetteLagnado(EAV Parque Lage) e Paulo Herkenhoff (MAR).

18h – Palestra de introdução ao Seminário com Regina Silveira: arte e mídia

 

Apresentação e mediação de Lisette Lagnado.

 

9 de julho

Museu de Arte do Rio – MAR (auditório da Escola do Olhar)

SEMINÁRIO ARTE, TECNOLOGIA, CIDADE

15h -16h30

INTRODUÇÃO E ABERTURA – Apresentação das propostas site-specific dos 15 artistas (conceitos e intenções iniciais)

 

16h30 – 17h

 

INTERVALO

19h

DIVERSIDADES E ADVERSIDADES DO CONTEXTO – Especificidades do espaço e do contexto, arquiteturas físicas e sociais como embate artístico.

 

Nelson Brissac (filósofo da PUC – SP e curador do projeto ZL/ Vórtice) – Adversidades na curadoria: a condução de projetos de intervenção em larga escala

 

Jorge Menna Barreto (artista/ pesquisador UERJ): De um lugar para outro: a esfera pública e o específico na obra

 

Peter PálPelbart (filósofo/ ensaísta PUC-SP): A adversidade como obra: o investimento e o abandono, onde cresce a vida.

 

Mediação de Clarissa Diniz.

 

10 de julho

Museu de Arte do Rio – MAR (auditório da Escola do Olhar)

SEMINÁRIO ARTE, TECNOLOGIA, CIDADE

15h

O ESPAÇO CINEMÁTICO EXPANDIDO –Tecnologias distributivas, imagens conectando ambientes físicos e virtuais, novas narrativas e o cinema para além das telas.

 

Eder Santos (artista MG) – Enredando coisas no mundo

 

Gabriel Menotti(professor/ curador UFV ES) – Outros cinemas: para além e apesar das telas

 

Erick Felinto (professor de estudos de mídias UERJ) – Cinema e sociedade:cinema sempre, ainda cinema

Mediação de Lucas Bambozzi

 

17h – 17h30

INTERVALO

 

17h30

A ARTE E MEDIAÇÃO DA VIDA PÚBLICA–Tecnologias da comunicação e intervenção mediada redesenhando espaços coletivizados.

Regina Silveira (artista SP) – O específico visual: a inserção da obra na trama da cidade

Giselle Beiguelman (artista/ curadora FAU USP) – O cinemático entre banco de dados, redes e dispositivos móveis

Maurício Dias e Walter Riedweg (artistas RJ) – Imersão em contextos sociais: a voz do outro

Mediação de Paulo Herkenhoff

 

 

 

Marcos Barros

Cria da Rocinha, jornalista, coordenador de comunicação e professor voluntário do Pré-Vestibular Comunitário da Rocinha. Atuante no FavelaDaRocinha.com desde 2010.

Marcos Barros

Marcos Barros

Cria da Rocinha, jornalista, coordenador de comunicação e professor voluntário do Pré-Vestibular Comunitário da Rocinha. Atuante no FavelaDaRocinha.com desde 2010.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *