Jovens da favela da Rocinha criam startup de games

size_810_16_9_jovens-da-startup-favela-gameTrês jovens de 15 anos, moradores da favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, criaram uma startup de games e agora estão com uma campanha na internet para arrecadar dinheiro e dar continuidade ao projeto.

A Favela Game, como foi batizada a empresa, nasceu com o objetivo de representar a comunidade de forma positiva. Em vez de violência, o jogo desenvolvido pelo trio traz para o mundo dos games a dança do passinho, coreografia que é febre nas favelas cariocas. “Identificamos que faltava representatividade positiva das favelas e queríamos fazer algo para melhorar isso”, conta Francisco Ronaldo, que criou o jogo junto com os amigos Julia Ferreira e Allison Cavalcante.

Toda a ideia surgiu durante uma oficina da ONG Tunnel Lab, que busca levar aos jovens da Rocinha o interesse por empreendedorismo e tecnologia. “Eu não tinha conhecimento sobre tecnologia. Pensava que era só Facebook e redes sociais. Agora descobri que tudo o que a gente usa tem tecnologia por trás”, afirma Ronaldo.

Com a ajuda de um programador e de uma dançarina – que aparece no jogo fazendo as coreografias do passinho — o trio de estudantes desenvolveu o jogo e o colocou na rede. A primeira versão do Passinho Dance pode ser baixada por celulares Android.

O projeto chamou a atenção do Espaço Nave, uma pré-aceleradora de startups da universidade Estácio de Sá, que selecionou a Favela Games para receber mentoria. “Estou muito empolgado com esse programa. O Espaço Nave é muito inovador e somos os únicos adolescentes lá. Vamos batalhar para levar o Favela Game mais longe”, afirma Ronaldo.

Agora, os estudantes buscam uma forma de financiar a continuidade do projeto através de uma campanha de crowdfunding na internet. O objetivo é ousado: arrecadar 45,6 mil reais. Para doar, clique aqui. A campanha vai até a próxima terça-feira (1º/9).

Para Julia Moura, diretora-executiva da Tunnel Lab, a missão de despertar o interesse dos jovens foi cumprida. “O currículo deles já está completamente diferente, e eles já têm uma visão de mercado diferente e habilidades que a maioria das pessoas não tem”, afirma.

 

Da Exame

 

FavelaDaRocinha

Site de comunicação comunitária desenvolvido por estudantes de comunicação da própria comunidade da Rocinha.

FavelaDaRocinha

FavelaDaRocinha

Site de comunicação comunitária desenvolvido por estudantes de comunicação da própria comunidade da Rocinha.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *