Diferenças x Respeito

Atualmente mesmo com tantas discussões e leis sobre preconceito social, é comum a existência de discriminação com morador da Rocinha e qualquer sociedade brasileira. Muitos cidadãos ainda enxergam as periferias brasileiras como uma fábrica de indivíduos analfabetos, ignorantes, sem educação e “favelados” fazendo com que estes a partir desse pensamento descriminoso, convivam diariamente com um separatismo invisível que os afasta das classes mais desenvolvidas mesmo que estas estejam presentes em um mesmo território. Como por exemplo, em casa em que pessoas mais ricas chegam a se incomodar com a presença de pessoas menos ricas em seu local de lazer – bares, restaurantes, shoppings – deixando em uma situação constrangedora em público.
Porém o que muitos não observam são as qualidades existentes nas pessoas de periferia, na força que muitos criam para mudar de vida e dar um bom futuro a sua família. No talento que desenvolvem em meio a milhões de dificuldades que existem em um lugar onde o preconceito é grande mas não é um empecilho, para que deixem de ser um indivíduo que sabe viver a vida, sabe respeitar, se comportar, crescer.
Portanto para que esse preconceito seja quebrado é preciso que as pessoas passem a enxergar esses indivíduos como sendo seres humanos com direitos iguais ao de qualquer um de classe mais elevada que tem direito ao respeito e não a rótulos e opiniões formados por mentes preconceituosas fazendo com que a sociedade se torne mais harmoniosa e respeitosa com todos.

Raisa Ribeiro

Estudante, 17 anos e moradora da Rocinha.

Raisa Ribeiro

Raisa Ribeiro

Estudante, 17 anos e moradora da Rocinha.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *