Criatividade sem limites de espaço, Via Sacra da Rocinha manteve qualidade

Mesmo sem seu principal patrocínio, a Via Sacra da Rocinha foi realizada. (Foto: Leandro Lima)

Mesmo sem seu principal patrocínio, a Via Sacra da Rocinha foi realizada este ano. (Foto: Leandro Lima)

A Via Sacra da Rocinha é realizada na comunidade da zona sul do Rio de Janeiro há 24 anos. Os atores, moradores da própria Rocinha, ensaiam durante meses para a apresentação. Aurélio Mesquita, diretor do espetáculo, costuma mesclar temas políticos e situações do cotidiano com a vida e morte de Jesus Cristo. Este ano ele adaptou uma entrevista do rapper Emicida e utilizou trechos de algumas músicas do Chico Buarque.

Os cenários se misturavam com o cotidiano da Rocinha. Comerciantes e moradores parando para assistir o espetáculo. Atores se misturavam com drogaria aberta, anúncios de alugueis nos postes e interação com o público. Nada mais fora do comum para a Via Sacra da Rocinha, apesar do espaço limitado do Largo do Boiadeiro. Espaço aliás, muito bem aproveitado, utilizando boa parte do largo para os cenários. O público circulava com os atores num espaço mínimo, porque os moradores compareceram em peso.

Por falta de patrocínio, o espetáculo não percorreu pela favela, ficando apenas no Largo do Boiadeiro, parte baixa da favela. O contraste nisso é que a Via Sacra da Rocinha recebeu o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Cidade do Rio de Janeiro em setembro do ano passado. Um reconhecimento digno de uma atenção maior ao maior espetáculo da Rocinha.

Leandro Lima

Estudante de jornalismo, amante da fotografia e tecnologia. Morador da Rocinha e criador do portal FavelaDaRocinha.com. Já atuou no Parceiro do RJ (TV Globo), correspondente comunitário da BBC e Al-Jazeera. É fotógrafo de agências internacionais de notícias.

Leandro Lima

Leandro Lima

Estudante de jornalismo, amante da fotografia e tecnologia. Morador da Rocinha e criador do portal FavelaDaRocinha.com. Já atuou no Parceiro do RJ (TV Globo), correspondente comunitário da BBC e Al-Jazeera. É fotógrafo de agências internacionais de notícias.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *